Igualdade, liberdade e luta

PCB Paraná 14 de março de 2013 Comentários

O dia 8 de março marca a luta das mulheres pela garantia de seus direitos perante a sociedade. Por muito tempo, a mulher foi deixada de lado em decisões importantes, foi oprimida e vista apenas como mera reprodutora.

Mas, isso tudo acabou? A resposta é não!
Em pleno ano 2013, muitas mulheres ainda continuam sofrendo com a violência doméstica, salários baixos, assédios e outros tipos de violência.

O Dia Internacional da Mulher deve ser comemorado sim, mas como um dia de luta por igualdade e homenagem às guerreiras que continuam enfrentando as adversidades da condição feminina.

► DADOS PARANÁ
O Paraná é o terceiro estado onde mais se matam mulheres, conforme o Mapa da Violência 2012.

O nosso estado tem média de 6,3 assassinatos para cada 100 mil mulheres.

É um índice bem acima da média nacional (4,4 assassinatos para cada 100 mil
mulheres).

► QUE TRABALHO É ESSE?
O trabalhador brasileiro é o segundo mais estressado do mundo, segundo o ISMA, um instituto internacional que mede o grau de estresse em vários países.

Só ficamos atrás dos japoneses, que vivem em um país onde se cultiva uma verdadeira devoção  ao trabalho, mesmo porque a maioria dos empregados de lá recebe participação no lucro das empresas em que trabalham.

Aqui em nosso país o trabalhador é estressado por dois fatores principais:

1) as pressões que recebe dos patrões, principalmente para aumentar a produção sem aumento de benefícios,
2) o medo de perder o emprego.

► TRABALHADORAS EM FOZ
Aqui a situação não é diferente das outras regiões do país, principalmente para muitas trabalhadoras, que são submetidas a regimes de semiescravidão.

As camareiras de hotéis são exemplos disso.
O setor hoteleiro está em fase de expansão de suas instalações, mas não vem contratando mais trabalhadores para atender essa ampliação.

Isso significa que as trabalhadoras, em especial as camareiras, passam a ter que se desdobrar para arrumarem um maior número de quartos. E isso sem aumento de salário.

As caixas de supermercados também sofrem. Muitas vezes elas trabalham dez horas por dia sem receber hora-extra, gozam de quatro folgas mensais e ainda são obrigadas a pagar por eventual “furo de caixa”. Há pouco tempo uma delas se enforcou com uma calça jeans.

Diante de tais situações, que são apenas uma parte do mundo do trabalho local, temos que nos perguntar:
QUE TIPO DE TRABALHO É ESSE, ONDE AS PESSOAS ACABAM SE DESESPERANDO E ADOECENDO FÍSICA E MENTALMENTE?
A opressão do homem pelo homem começou com a opressão da mulher pelo homem!!

► ORIGEM DA LUTA!
Apesar de muitos resumirem o Dia Internacional da Mulher como simples data comemorativa, com flores e cumprimentos, a verdade por trás desta data é outra.

A deturpação vem de muito longe e alcança até mesmo a origem da comemoração, divulgada amplamente como marco de uma greve ocorrida nos EUA, onde teriam morrido queimadas 129 operárias. Esse mito ajudou a apagar a real origem dos Dia da Mulher, que foram as lutas políticas com greves e congressos por igualdade e justiça social.

Reconhecemos as  conquistas, mas a condição feminina ainda exige uma batalha contra o preconceito e a desigualdade, logo o 8 de março deve ser marcado como dia de conscientização.

•    A cada 15 segundos uma mulher é agredida no Brasil.
•    7 em cada 10 mulheres sofrem  violência na vida.
•    O Dia Internacional da Mulher é de luta!!!

realização:
APP Sindicato Foz - www.appfoz.com.br
Casa da América Latina: www.casadaamericalatinafoz.wordpress.com
Casa do Teatro: facebook.com/casadoteatro.arteecultura
Centro de Direitos Humanos: www.cdhfoz.blogspot.com
Cidade Nova Informa: www.cidadenovainforma.blogspot.com
Colectivo Independiente de la UNILA
Coletivo Ana Montenegro: coletivomulheranamontenegro.blogspot.com
Conselho Municipal da Mulher: conselhodamulherdefoz.blogspot.com
Guatá Cultura em Movimento: www.guata.com.br
Sindicato dos Jornalistas:  www.sindijorfoz.blogspot.com